A pitanga  é o fruto da pitangueira (Eugenia uniflora L.), dicotiledônea da família das mirtáceas. Também é conhecida por  Brazillian Cherry, Suriname Cherry ou Cayenne Cherry. É uma árvore nativa da Mata Atlântica brasileira, onde é encontrada na floresta semidecidual do planalto e nas restingas, desde Paraíba até o Rio Grande do Sul em regiões de clima subtropical. Apesar de ser tipicamente brasileira, esta espécie atualmente pode ser encontrada na ilha da Madeira (Portugal), na América do Sul (Argentina, Bolívia, Colômbia, Guianas, Paraguai, Uruguai e Venezuela), América Central (incluindo Caribe), América do Norte (exceto Canadá) e África (Gabão, Angola e Madagáscar). O fruto, que não é produzido comercialmente, pois, quando maduro, fica muito tenro e danifica-se facilmente com o transporte, tem a forma de bolinhas globosas e carnosas, de cor vermelha (a mais comum), laranja, amarela ou preta. Na mesma árvore, o fruto poderá ter desde as cores verde, amarelo e alaranjado até a cor vermelho-intenso, de acordo com o grau de maturação. É uma árvore medianamente rústica, de porte pequeno a médio, com 2 a 4 metros de altura, mas alcançando, em ótimas condições de clima e de solo, quando adulta, alturas acima de 6 metros e até, no máximo, 12m. A copa globosa é dotada de folhagem perene. As folhas pequenas e verde-escuras, quando amassadas, exalam um forte aroma característico. As flores são brancas e pequenas, tendo utilidade melífera (apreciada por abelhas na fabricação do mel).

A pitanga tem propriedades medicinais. A fruta é indicada no tratamento da gota, rins, reumatismos, estados febris e diarreico. É usada na medicina popular para tratar cefaleia.

A pitanga tem sabor agridoce, sendo,  às vezes,  confundida com uma pimenta, cujo nome também é pitanga. Na gastronomia, existem algumas receitas com pitanga. O bolo de pitanga, o gelado de pitanga e a bavaroise de pitanga, e agora a compota, são algumas das receitas que pode consultar aqui no site.

Diapositivo1

Ingredientes

  • 1/2 quilo de pitangas
  • 1/2 quilo de açúcar branco

Preparação

  1. Lave as pitangas e escorra-as. Pese.
  2. Coloque-as num tacho e cubra-as com a mesma quantidade de açúcar.
  3. Ligue o fogão em lume brando e mexa de vez enquanto. Com cozedura alguns caroços ir-se-ão desprendendo da polpa da fruta e flutuando. Não os retire, pois são fontes de pectina, o gelificante natural, que trará à compota a textura perfeita.
  4. Desligue o lume quando a compota fizer ponto estrada. Na dúvida, desligue o lume mais cedo e deixe um pouco de compota arrefecer numa colher. À temperatura ambiente já poderá verificar a consistência com maior facilidade. Se necessitar de mais tempo, ligue novamente o lume no mínimo, e não se esqueça de ir mexendo a compota de quando em vez.
  5. Guarde-a em frascos esterilizados.

 

One Reply to “Compota de Pitanga”

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: