Espetadas de crepes com recheio Ferrero Rocher e morangos

Scroll down to content

O crepe é uma palavra que vem do francês crêpe, derivada do latim crispus, que significa crespo, é um tipo de panqueca feito a base de farinha de trigo, leite e ovos. A massa é preparada de forma que possa formar uma camada delgada no fundo duma frigideira apenas pincelada com manteiga ou outra gordura. O crepe é geralmente comido depois de enriquecido com algum recheio, que pode ser doce ou salgado.

Os crepes são originários da Bretanha, depois do trigo-mourisco ter sido introduzido naquela região no século XII, e eram primeiro chamadas “galettes”, que significa “bolos achatados”. Os crepes de farinha branca só apareceram no início do século XX, quando a farinha de trigo se tornou acessível, assim como o açúcar; estes crepes são tão finos como as galettes de trigo-mourisco, mas são mais macios, por serem confecionados com ovos, leite e manteiga. Na Bretanha, os crepes e as galettes são tradicionalmente servidas com sidra.

Na França, o dia 2 de fevereiro é também chamado “dia dos crepes” ou “fête de la chandeleur” e para além de se fazerem e servirem crepes em abundância, também se faz uma manobra de previsão do futuro: a pessoa que está a fazê-los deve segurar uma moeda com a mão com que escreve, ao mesmo tempo que segura a frigideira com a outra mão para virar o crepe e, se conseguir que o crepe caia dentro da frigideira, isso significa boa fortuna para a família durante o resto do ano.

Para além de se terem tornado populares em praticamente todo o mundo, iguarias iguais ou semelhantes aos crepes franceses existem em vários países. Na Espanha, faz parte da culinária da Galiza, onde tem o nome de filloa ou freixó, e das Astúrias, onde tem os nomes de fiyueles, freixuelos ou freisuelos.; na Itália, são chamadas “crespelle”; na Hungria, “palacsintas”; em Israel, “blintzes”; na Escandinávia, “plattars”, na Rússia, “blini” e na Grécia, “kreps”. 

Os crepes da receita de hoje foram recheados com recheio Ferrero Rocher, um delicioso creme de chocolate com pedaços de avelãs, que adquiri na Luízes Representações. Resolvi conferir uma presentação diferente aos crepes, por intermédio de caracóis recheados, posteriormente espetados em pauzinhos para transformar a degustação em algo mais divertido e versátil.

Ingredientes (para cerca de 6 crepes) – copo da Bimby/copo liquidificador

  • 250 g de farinha de trigo T55 sem fermento
  • 500 ml de leite
  • 2 ovos
  • 1 colher (sopa) de azeite ou de manteiga derretida
  • 1 colher de café de aroma de baunilha (para as versões doces)
  • 1 pitada de sal

Coloque todos os ingredientes no copo da Bimby ou no liquidificador, começando pelos líquidos.

Marque velocidade 6 até que fique homogéneo.

Unte uma frigideira antiaderente (cerca de 20 cm de diâmetro) e aqueça-a em lume baixo.

Despeje cerca de 1 concha pequena da mistura (ou o suficiente para forrar o fundo, lembrando que o crepe é mais fino que panqueca) e deixe dourar por baixo.

Vire para dourar do outro lado e retire. Repita o procedimento e vá empilhando os crepes num prato. Sirva com o recheio de sua preferência.

Neste caso, recheamos com creme Ferrero Rocher e acompanhámos com mel e morangos.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: